Vamos de Contra Vento – Velejar É Fácil


Alou Maruj@s!

Já falamos de bastante coisa aqui no blog e até mesmo explicamos a famigerada Cambada com a extensão da cana de leme que teima em dificultar a vida dos novatos… Mas alguns assuntos passaram menos Explorados e essa semana percebemos que merecem mais Detalhamento. Então, o assunto desse post é o Querido Contra Vento! 🙂

Quem nunca viu um veleiro todo adernado com a tripulação toda pendurada pro lado de fora fazendo escora? Então, isso é o Contra Vento e a gente vai tentar explicar simplificadamente tudo isso aí porque velejar de contra vento é a diferença entre Velejar e Ser Velejado! Rs! 😀

Velejar é fácil, como sempre falamos por aqui, especialmente com o vento a nosso favor vindo da Popa, de Alheta, ou até mesmo de Través. Opa! Esqueceu o que cada termo significa? Então confere o post “B-a-ba da Vela” , lá tem um material para baixar que explica tudo direitinho! 😉

Mas velejar de Contra Vento é meio esquisito porque foge da ideia original de que o vento Empurra as Velas e que seria por isso que o barco veleja. Bem, o barco não é empurrado pelo vento… Na verdade, as velas fazem um efeito físico que começou a ser entendido lá pelos anos de 1600-1700, ou seja, não é novidade para ninguém e vai deixar de ser para você também! A partir de… AGORA!

Tira onda com os amigos e estuda A Lei de Conservação de Energia de Bernoulli o Efeito Venturi porque velejar de Contra Vento é na verdade uma ciência (sério, é física purinha e aplicada) e a gente deve explicar isso em outro post para a coisa aqui não ficar tão técnica. Mas a princípio, é só preciso entender que o vento não Empurra as Velas, mas sim Passa Entre As Vela Gerando Diferença de Pressão, como uma turbina de avião: um monte de ar entra, é espremido, e é solto do outro lado, gerando mais velocidade. Tem uma outra consequência na vela que é o Lift, mas esse fica pro outro post.

Calma. Não fica doid@ ainda!, mas é legal ver o desenho, pelo menos. Ajuda a entender. 🙂

LCE de Bernoulli:

Bernoulli's Explanation of Aerodynamic Lift
Velejar de Contra Vento – Lift

Imagina que essa asa aí em cima é a sua Vela vista de cima. Lembra que a gente diz que as velas tem que ficar no formato de Asa de Avião? Então, é isso aí que o desenho mostra. E a coisa é simples. Porque o vento desvia para a “corcova” da vela, ele ganha mais velocidade e, com isso, menos pressão.

Agora junta isso aí com o Efeito Venturi, que é mais ou menos assim:

Efeito Venturi – Velejar de Contra Vento

Imagina que a Frente do desenho, marcada com um “A1” grandão é o espaço entre a Testa da Buja e O Mastro. Agora imagina que o funil do meio do desenho, “A2”, é o espaço entre a valuma da Buja e a Testa da Grande. Por fim, o pedaço marcado no desenho com uma Seta é a parte “aberta” por trás da Grande, à sotavento dela. Então, se você conseguiu ver isso, então você entendeu que as velas caçadas vão causar um Funil, que o Vento vai Comprimir e que, ao sair do Funil, o vento vai “expandir” de volta, gerando Pressão e Mais Velocidade.

Ficou técnico demais, né? Bem, então esquece isso tudo e passa para baixo:

Relaxa.

O importante mesmo é você entender que para esse esquema aí de cima funcionar, as velas tem que estar caçadas e você tem que estar velejando o mais perto da linha do vento possível, normalmente entre 40º-45º em relação ao Vento Real. Isso é o que a gente chama de Orça Máxima, ou Rumo de Bolina Cochada.

Ficou complicado? A gente Desenha!

Rumo de Contra Vento Aula de Vela Arrais Amador Velejar de Contra Vento

 

Os dois barquinhos a 40º estão velejando no Rumo de Contra Vento, ou Orça Máxima. O Barquinho do meio está parado, viu as velas panejando? Pois então, não dá para velejar de cara para o vento, ou melhor, Aproado Ao Vento. Velejar de Contra Vento é então velejar na Orça Máxima, 40-45º da linha do Vento onde você ficaria Panejando. Sacou? É molezinha!!! 😛

O macete da coisa toda é você conseguir orçar até a Orça Máxima, ou Rumo de Contra Vento, ou Rumo de Bolina Cochada. Esse ângulo em relação ao vento é variável de barco para barco, alguns orçam mais, outros menos. Dependerá também de quanta Escora, ou contra peso à Barlavento (aquele bando de gente pendurada do lado do barco), você conseguirá colocar e, mais importante, da sua vela grande.

Digo e Repito, não dá para Orçar o Máximo se sua Vela Grande não estiver Caçada. Claro, você deve fazer as regulagens para a intensidade do vento e isso pode até implicar em deixar a Grande um pouco menos caçada, mas em geral, a vela fica caçada até quase o meio do cockpit.

Porque caçar as velas? Por causa do Efeito Venturi que falamos antes, tá lembrado do esquema da Turbina? O segredo é criar um afunilamento do vento que entra entre a Buja e a Grande para gerar diferença de pressão entre as duas velas. Essa Pressão tem que ser suficiente para o barco velejar. É um ajuste fino e não ache que Caçar as velas até elas ficarem totalmente Achatadas vai ajudar, porque não vai. Elas têm sempre que manter a forma de Asa de Avião.

Para gente o que importa mais é a Prática do Contra Vento, e na água são os ‘Tell Tales‘ (ou Teltale) dedo-duro) ou Birutas da Buja que vão dar para o timoneiro a dica se ele está orçando muito, ou arribando muito. Se ligou que a Buja (e a grande também) tem umas birutas nela? Não?! Olha só.

ACA_PPT ContraVento_Teltales_Velejar de Contra Vento

Esse aí da foto é o Teltale de Sotavento. Ele está assim, paralelo à água e esticadinho, porque o timoneiro está velejando no rumo certo e o fluxo de ar nele está certinho também. Se o timoneiro começar a arribar muito – e ninguém ajustar a vela – esse teltale vai começar a panejar para cima e para frente. Opa! É hora de orçar de volta – ou avisar a tripulação que o rumo mudou para o pessoal ajustar as velas.

Idem para o de Teltale de Barlavento. Se o timoneiro está velejando de contra vento e a buja estiver toda caçada, o teltale vai ficar assim, paralelo à água. Mas se o timoneiro Orçar Mais, o Teltale de Barlavento começa a panejar para cima e para frente. Opa! Orçou Demais, então Arriba um Pouquinho para voltar para o Rumo. Um bom timoneiro fica oscilando entre a Orça Máxima e Orçado “Demais” só o suficiente para ganhar um pouco mais de ângulo e diminuir assim a distância navegada.

Isso tudo aí para contar para você como é velejar de Contra Vento. Se você juntar essa informação com a informação do post Prepara Para a Cambada você estará pronto para uma boa velejada completa em todas as direções de vento.

Por que nos preocupamos em escrever esse textão e explicar no detalhe essa velejada? Porque a gente sabe, por experiência na água e de muito tempo treinando gente mundo a fora, que essa é normalmente a maior dificuldade de quem está começando: achar a orça máxima para poder fazer a cambada certinho e voltar em segurança para o porto do qual saiu. É natural, para quem está começando a velejar, sair da Marina, do porto, do clube ou da praia e começar a velejar de Popa ou de Alheta, porque é instintivo, mas na hora de voltar, se você não lembrar que para Velejar de Contra Vento é preciso Orçar, Caçar as Velas, e Escorar, você pode acabar precisando de um reboque!

Aliás, quase precisamos de reboque uma vez… Mas isso é um “causo” para as nossas velejadas! 😛

É isso aí, maruj@s!

Bons Ventos e Boas Velejadas!

Ah, para os mais aventurosos, seguem dois Videos (em Inglês – se souberem de video em português explicando isso, avisem!) bem legais sobre a Velejada de Contra Vento! 🙂

 

compartilhe com outros marujos Facebook